Arte Pública e Modernidade

Uma Outra Narrativa

  • MARIA JOSÉ de AZEVEDO MARCONDES INSTITUTO de ARTES - Universidade Estadual de Campinas

Abstract

O artigo analisa obras   de arte pública realizadas e implantadas nas décadas de 30 a 50 do século XX, nas cidades latino-americanas - São Paulo, México e Buenos Aires; as quais se constituem em obras artísticas emblemáticas da instauração da modernidade nas citadas cidades. Tratam-se das esculturas – “Monumento às Bandeiras, de Victor Brecheret (implantação -1953), “Torres de Satélite”, de Luis Barragán e Mathias Goeritz (implantação -  1958) e “Obelisco”, de Alberto Prebisch (implantação - 1936); obras artísticas inscritas e protegidas como patrimônio cultural em diferentes esferas institucionais. O artigo apresenta as referências estéticas e o contexto histórico - social das citadas obras e discute as narrativas contemporâneas acerca dessas obras na perspectiva de uma nova escrita da historiografia das artes visuais. A análise incorpora o referencial teórico que podemos denominar “modernidade revisada”, circunscrevendo – o com os aportes dos conceitos de transferência cultural e circularidade cultural; os quais buscam a integração de saberes das culturas tradicionais e vernaculares com a erudita. Objetiva-se, também, discutir a complexidade das noções -  modernidade e colonidade - através de leituras visuais e simbólicas, apagadas ou vivas, conforme análise realizada em uma   perspectiva decolonial da cultura. Conclui-se que as obras dos artistas e arquitetos Victor Brecheret, de Luis Barragán, de Mathias Goeritz e de Alberto Prebisch apontam diferentes narrativas na contemporaneidade, embora, essas três obras foram consideradas na historiografia como instauradoras da modernidade nas respectivas cidades.

Published
2020-02-11